Leiturinha deve começar na gestação!

Por Lu Martinez*

A leiturinha para os pequenos deve começar quando o bebê ainda está na barriga da mamãe. Confira minhas dicas para incentivar, desde cedo, o gosto pela leitura em seu filho.

A descoberta da gravidez é um dos momentos mais marcantes na vida de uma mulher. Saber que ali dentro de você cresce uma sementinha que carrega uma parte sua…um brotinho! Nesse mesmo período, também começa uma fase de alegrias e preocupações, ansiedades e responsabilidades, entre elas, o incentivo à leitura, a leiturinha. mas acredite, tudo vai da certo!

À partir da 24 semana de gestação, seu bebê já pode escutar a sua voz, reconhecê-la, até em diferentes tons. Esta é uma ótima fase para iniciar as conversas entre vocês, ouvir músicas infantis e cantá-las, contar histórias antes de dormir e trocar muito carinho.

O resultado desta troca você verá quando seu bebê já estiver em seus braços. Com a troca de olhares e respostas ao que você fala, canta e conta!

Mas como iniciar a leiturinha e incentivar à leitura?

O prazer pela leitura é algo que deve ser incentivado. Principalmente quando as crianças ainda são pequenas, pois é essencial contribuir para que se crie o hábito, o da leiturinha. E a participação dos pais nesta fase é fundamental.

No dia a dia, há uma série de ações simples que ajudam a despertar o gosto pela leitura. De modo geral, podemos dizer que todas as atividades que incentivam a criatividade e a curiosidade estão, consequentemente, contribuindo para despertar o interesse pela leitura.

A principal atividade, e mais importante, é a contação de histórias. Trata-se de uma forma bem mais divertida e atraente de aprender a ler. Cada história ensina um vocabulário novo e estimula a assimilação de palavras com figuras.

E a contação pode acontecer de diferentes formas, nas mais diversas situações.

Música: aliada das histórias

4267A música, por exemplo, é uma grande aliada. O hábito de cantar para os filhos, seja na hora de dormir, durante o banho ou no lanche, é uma ótima oportunidade. As músicas infantis geralmente contêm historinhas rimadas que prendem a atenção dos pequenos. Consequentemente, os bebês vão se acostumando e se aproximando de novas palavras e sons.

Numa segunda fase da leiturinha, é preciso participar de brincadeiras e contar histórias com os bonecos, bonecas ou outros brinquedos que a criança goste. Assim, ao trazer um livro com historinhas para ler com o seu filho, ele já estará familiarizado com a atividade e irá interagir naturalmente.

O contato com livros desde pequeno também é fundamental. Existem vários brinquedos em formato de livros, fabricados com materiais especiais. A criança irá manuseá-lo, folheá-lo e isso já lhe trará um contato com este universo. Livros com figuras e ilustrações educativas e coloridas também ajudam muito neste incentivo. As imagens chamam a atenção das crianças e aguçam a imaginação.

Os pais são inspiração

Vale lembrar que as crianças se inspiram nos pais e nas pessoas com as quais mais convivem. Geralmente, elas sempre procuram imitir ou copiar atitudes de pais e familiares. Portanto, ter livros em casa ajuda nesse processo. Quando os pais possuem o hábito de visitar bibliotecas e livrarias, a criança se acostuma com o ambiente e com a leitura facilmente.
O ideal seria que todas as crianças já chegassem à escola familiarizadas com os livros e adeptas da leitura como algo que fazem por prazer e não por obrigação. Por isso, promover leiturinhas desde a gestação, despertando e incentivando esse gosto também faz parte do nosso papel como pais!

 

* Escritora, apresentadora, mãe e diretora presidente do Projeto Meu Broto de Leitura, Lu Martinez é economista, com especialização em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, em Administração, pela Fundação Getúlio Vargas, e MBA, pela Fundação Instituto de Administração – USP.

Fotos e Artigo : Todos direitos autorais reservados à Lu Martinez. Proibida cópia, reprodução e divulgação sem autorização. Quer publicar? Envie um email aqui para ser autorizado.